Esperançar 2021


2020 foi um ano atípico, todas nós de uma forma ou outra fomos tiradas de nossas vidas cotidianas, sendo obrigadas a se adaptar, querendo ou não, ao que chamamos do novo "normal". Foi um ano de muitas perdas, sem dúvida alguma a maior, a de entes queridos. Uma perda a qual somente o amor de Deus pode nos confortar.

Viagens foram adiadas, planos foram frustrados, encontros e abraços que não aconteceram. A raiva, a tristeza e a incerteza que esse ano nos causou também ajudou a mostrar a capacidade, infinita, de reinvenção de nós, humanos. Atos de solidariedade se tornaram mais comuns, palavras de amor foram ditas e foram ouvidas em tempos de necessidade e descobrimos em nossa fragilidade a beleza de ser vulneráveis, abraçar nosso lado mais humano e nos tornarmos melhores por causa deles.

Há muito o que dar graças, por todos os momentos que pudemos aproveitar e nos reencontrar, apoiar umas às outras, ajudar, aprender, trocar, mesmo na distância, mesmo com as barreiras tecnológicas, mesmo com máscara e álcool gel.

Se de um lado, a pandemia mostrou nossa fragilidade como seres humanos e como sociedade. Por outro lado, mostrou a resiliência das comunidades que continuaram a manter seus laços, a manter e até aumentar suas ações solidarias para com os que mais necessitam. Nós mulheres fomos as mais sobrecarregadas, mas aprendemos novas habilidades e novas formas de viver e trabalhar.

E o que desejamos para 2021? A vacina. Esperamos a vacina como esperamos um milagre que venha por nossa vida de volta ao normal. É verdade que a vacina contra a covid-19 é primordial para a saúde do mundo todo. Mas a vida não deve voltar ao que era antes, temos que aproveitar o que aprendemos e usar para fazer um futuro melhor para todas as pessoas.

Novas palavras passaram a fazer parte do nosso vocabulário: reuniões online, webinars, lives. Sinto que a vida fora da internet ficou suspensa, e penso nas milhares de pessoas que não tem acesso a um computador, como ficou a vida delas? Faltou acesso a emprego, a escola, a lazer.

Para que o mundo seja melhor, nossas conexões precisam ser reforçadas, a teia, não só virtual, deve ser forte para que todas e todos possam fazer parte dela e ter vida em abundância.

Não vamos só esperar pela vacina, mas vamos continuar tendo uma atitude ativa, de amor e de fé nas nossas ações, vamos esperançar 2021.

Como na oração de Dom Oscar Romero:


“...Não podemos fazer tudo,

mas dá uma sensação de libertação iniciá-lo.

Dá-nos a força de fazer qualquer coisa e fazê-la bem.

Pode ficar incompleto, mas é um início, o passo de um caminho.

Uma oportunidade para que a graça de Deus entre

e faça o resto.

Pode acontecer que nunca vejamos a sua perfeição,

mas esta é a diferença entre o mestre de obras e o trabalhador.

Somos trabalhadores, não mestres de obras,

servidores, não messias.

Somos profetas de um futuro que não nos pertence.”


Que o menino Jesus que nasceu no Natal, possa crescer e agir através de nós em 2021. Que possamos amar uns aos outros como Ele nos amou. Que todos os nossos gestos e atitudes sejam de amor. Que nossas mãos continuem unidas, que continuemos a superar as barreiras, que estendamos nossas mãos para ajudar aquelas irmãs que tem mais dificuldade, porque toda mulher é nossa irmã, não importa a raça, religião ou gênero. Vamos continuar a produzir mudanças para melhorar a vida das pessoas a nossa volta, vamos dar espaço para que outras possam estar ao nosso lado.

Christina Takatsu Winnischofer, São Paulo, graduada em Psicologia e Mestre em Ciências da Religião, Coordenadora Nacional da Oferta Unida de Gratidão - UMEAB, vice-presidente do Dia Mundial de Oração - Brasil e assessora da Ação Ecumênica de Mulheres.

42 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo
  • Instagram
  • Facebook